AS TRIBOS DO MOTOCICLISMO

04/04/2012 22:19

 

Caros companheiros


Quem somos nós motociclistas?
Seres em constante movimento, pertencentes a diversas “tribos”?
“Tribos” formadas por trilheiros em pura lama. Por algumas supersports que achamos que vimos. Vimos? Por profissionais realizados com a Harley dos sonhos num sábado ensolarado em estrada com a pista impecável. Por alguns moto adventurers que querem chegar ao fim do mundo. Por bikers e trikers por todas as curvas deste planeta, rumo a inúmeros eventos e destinos em pleno movimento.
Compreender este movimento é compreender a própria Natureza.
A Natureza de todas as paisagens por tantos caminhos entre planaltos, planícies, depressões e montanhas.
Da natureza que não basta descobrir o que realmente somos, da natureza que devemos descobrir o realmente podemos ser. Como motociclistas e seres do bem.
Por qual meio “enchergamos” esta descoberta? Por nossos olhos? Por nosso cérebro? Ou pela capacidade das sinapses entre os neurônios do hipocampo de armazenarem as informações? Segundo a neurologia moderna.
Qual parte ou partes da nossa biologia vê o mundo?
A conectividade de todos os nossos sentidos nos fazem adquirir uma consciência individual sobre todas as coisas.
Se o nosso objetivo é nos tornarmos melhores como pessoas, do bem, solidária com seus semelhantes, minimizando sentimentos ruins, como ódio, inveja, vaidade perniciosa, desmedida ambição, que atropela a tudo e a todos, ferindo sentimentos e ludibriando a boa-fé dos outros, então devemos desenvolver a nossa própria consciência e elementos para isso.
As grandes mudanças vêm da neutralização do Inconsciente Coletivo residente em nossa sociedade, quando conseguimos influenciar sinergicamente o que é gerado por todos, na média de seus pensamentos, sentimentos, sonhos, pesadelos, ações e atitudes.
“Examinai todas as coisas, e retende o que é bom”. (São Paulo)
As nossas fronteiras mais distantes como seres humanos, são exatamente as que nos estão mais próximas, as do nosso próprio corpo, a nossa consciência e da parte de nós de que são feitos o pensamento e entendimento da realidade.
"Quem somos nós que vivemos de desatar os nós das gargantas e juntar esperanças e procurar saídas e levantar bandeiras e adiar partidas. Quem somos nós que dizemos sim querendo dizer não e que balançamos as idéias quando alguém pede perdão. Quem somos nós feitos de emoções, intenções, intuições, mas que também dizemos palavrão quando não cabe uma canção. (...) Quem somos nós que temos muitos colos, calma e paciência, mas que muitas vezes perdemos isso em busca da própria existência. Quem somos nós que desejamos muito mais do que carinho, comida, teto e paz. Que olhamos pra frente sem nunca deixarmos de olhar pra trás. Quem somos nós aqui, neste exato presente? Folha, galho, raiz ou semente? Quem somos nós, além de sermos gente?” (Paula Taitelbaum. Trecho retirado de seu livro, “Mundo da Lua")
Somos motociclistas, seres em pleno movimento.