AUGUSTO BR, UM MOTOCICLISTA QUE DESAFIA A IDADE

30/05/2013 22:21

Um motociclista que desafia a idade

·         Após bater recorde mundial em sua categoria, motociclista estradeiro de longa distância que fez Rio-Alasca-Rio, agora, aos 71 anos, vai percorrer 45 mil km entre Europa e Ásia. Como companhia, terá apenas uma imagem de Nossa Senhora de Fátima·          


Motociclista de 71 anos vai à Ásia
Foto: Geraldo Corrêa / Divulgação

Motociclista de 71 anos vai à Ásia 
Geraldo Corrêa / Divulgação

RIO — Ele não só é um exemplo de superação para a chamada terceira idade como vai tentar superar a si mesmo. Motociclista estradeiro, o advogado aposentado Augusto Lins e Silva, de 71 anos, bateu recordes na sua faixa etária ao percorrer de moto 39 mil quilômetros na viagem Rio-Alasca-Rio em 2011. Na segunda-feira, ele parte novamente do Rio para sua aventura mais ousada. Vai de avião até Lisboa, em Portugal, e dali percorrerá 45 mil quilômetros da Europa à Ásia, cortando em três meses 35 países e dois principados no Projeto Eurásia, criado por ele próprio.

Morador de Nova Friburgo, na Região Serrana, Lins e Silva buscou patrocínio no Brasil. Mas ninguém quis ajudá-lo, nem mesmo as montadoras de motocicletas. Apenas uma empresa de aluguel de motos de Lisboa, que lhe alugou a moto pela metade do preço, apostou no projeto. Casado e pai de quatro filhos, o advogado reuniu economias e vendeu a própria motocicleta, além de contar com ajuda de parentes e amigos, para viajar. Vai sozinho, em companhia apenas da imagem de Nossa Senhora de Fátima, da qual é devoto fervoroso.

Na viagem ao Alasca, na qual ele percorreu as três Américas em 116 dias, o advogado estabeleceu um recorde mundial de motociclismo estradeiro de longa distância na categoria terceira idade. Aventureiro, resolveu quebrar seu próprio recorde. Os problemas que teve na viagem ao Alasca não o desanimam:

— As maiores dificuldades foram o clima hostil e as intempéries, além de conviver proximamente com animais selvagens, como ursos e bisões, que fazem parte da paisagem local. A próxima viagem é mais longa. Se alguém já a fez, certamente não tinha 71 anos.

Por economia, Lins e Silva decidiu começar a viagem de moto por Lisboa em vez de embarcá-la no Rio. Ele estima gastar cerca de R$ 30 mil, sem contar as passagens aereas Rio-Lisboa-Rio. Em duas rodas, vai atravessar o deserto da Capadócia, a Rússia, o Cazaquistão e também toda a Europa Ocidental, incluindo os países da Escandinávia. Volta a Portugal, após rápida passagem pelo Marrocos, na África. Na bagagem, uma pouco de mágoa por falta de ajuda:

— Aluguei a moto na empresa portuguesa Moto Explorers pela metade do preço. Em troca, farei propaganda dela, que me fornece também seguro e assistência técnica e mecânica. No Brasil, o laboratório Eurofarma tentou me patrocinar, mas o Ministério dos Esportes exigiu que eu criasse uma firma. Gastaria para abrir e depois fechar a empresa mais do que ganharia de patrocínio – lamentou.

A moto da aventura será uma BMW de 650 cilindradas com motor de 800 e outras adaptações específicas para o tipo de viagem, que está toda planejada. No roteiro, muitos sanduíches para matar a fome e pernoites em casas de motociclistas, com os quais já manteve contato pelas mídias sociais:

— Os motociclistas formam uma grande irmandade em todo o mundo. Quando chego nos locais mais distantes, sou recebido com festa por pilotos que, como eu, adoram uma aventura. Sou apaixonado pelas duas rodas desde os 16 anos, quando ganhei uma lambreta. Viajo, em média, 90 mil quilômetros por ano e conheço o Brasil todo de moto. Vou continuar nas estradas enquanto gozar de saúde plena e capacidade de pilotagem com absoluta segurança.

Natural de Recife, Lins e Silva já foi deputado federal por Pernambuco, morou 35 anos no Rio e, atualmente, seu refúgio é um sítio nos arredores de Nova Friburgo. Ele quer ser um exemplo de motociclista responsável numa época em que a quantidade de motos – e de acidentes – está explodindo nas grandes cidades.

— O caminho é educação dos atuais e futuros usuários. O governo terá uma séria responsabilidade na formação desse novo contingente de motociclistas que está surgindo em face das dificuldades cada vez maiores de circulação nas grandes cidades.

A viagem de Lins e Silva poderá ser acompanhada através do site www.projetoeurasia.com, além da página do advogado no Facebook, que ele pretende municiar com com comentários diários durante toda a jornada.



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/um-motociclista-que-desafia-idade-8542065#ixzz2UpSB54qn