DICAS PARA VIAJAR AO MERCOSUL (ARGENTINA E CHILE)

09/02/2011 12:40

A princípio, os documentos necessários para viajar  pelos países do Mercosul e Chile são:

1- CNH brasileira dentro do prazo de vencimento. 2. RG ou passaporte originais 3.CRLV do veículo no nome do condutor. 4.Seguro carta verde.     As exigências parecem ser simples, entretanto podem surgir complicações, pois existem vários poréns que não são explicados pelas autoridades, como por exemplo, quando o veículo que você dirige está no nome de outra pessoa.

Legalização :
Quando seu veículo é emprestado, você precisará fazer uma legalização. Este é um problema chato e burocrático.    A legalização é feita através do Ministério das Relações Exteriores em Brasília. Não é necessário ir até lá, pois os trâmites podem ser feitos por correio, entretanto, por este método ele demorará no mínimo 20 dias e se você não der início no processo de legalização com bastante antecedência correrá o risco de perder a viagem.A legalização consiste em uma autorização por escrito, onde deverá constar os dados do proprietário e condutor completos, assim como todas as informações do veiculo: Fabricante, modelo, ano, cor, motor, número de chassi, código Renavam, placa, etc. O documento deve ser assinado pelo proprietário e ter firma reconhecida em cartório para depois ser enviado para este endereço:Divisão de Assistência Consular (DAC)Esplanada dos MinistériosBloco H - Palácio ItamaratyAnexo I - Térreo70170-900Brasília, DF - BrasilTel: (0XX61) 3411-9713Fax: (0XX61) 3411-8800Quem tiver pressa em obter esta documentação dirija-se pessoalmente à este endereço, pois pessoalmente a legalização é feita em 2 dias.
Seguro Carta Verde
Este é um item que todo mundo se confunde, afinal o que é este seguro Carta Verde?
O seguro Carta Verde é um seguro que cobre apenas acidentes com terceiros, ou seja, se você bater o carro, seu Seguro Carta Verde irá indenizar o condutor do carro que você bateu.O Seguro Carta Verde foi implementado na criação do Mercosul e é uma exigência para todos os países que fazem parte deste bloco econômico e voce poderá providenciar na primeira cidade do país vizinho, fica mais barato e menos burocrático, que no Brasil.
O Chile não exige este documento, entretanto se você quiser ter a segurança de ter um seguro como este válido por lá é possivel conseguir.Neste seguro NÃO está incluído nos seguros normais de carro que temos, mesmo que eles tenham validade no Mercosul e no Chile. Geralmente para acidentes fora do Brasil os seguros normais só cobrem o seu veículo e os cuidados com você.Existem várias seguradoras que fazem este tipo de seguro. Entretanto são poucas que tem o Chile como área de abrangência, pois a maioria somente cobre os países do Mercosul. Então se o seu destino for o Chile, seu Seguro Carta Verde será mais caro!O Seguro Carta verde mais famoso é o Sulamérica, e o que tem cobertura no Chile mais fácil de achar é o HSBC acessibilidade não quer dizer que sejam os mais baratos, existem muitos outros, é só perguntar em uma corretora de seguros.Você poderá fazer este seguro nas cidades fronteiriças. Ele é feito rápidamente. Há a opção de fazer o seguro pela internet para receber pelo correio depois. Para tanto você deverá procurar em u.m buscador um site especializado neste seguro.O seguro Carta Verde é somente obrigatório no Mercosul, Chile, Peru, Bolivia e outros países não pedem.
Carteira de motorista internacional

A carteira internacional de motorista é um livrinho que traduz para 8 idiomas aquilo que está escrito em sua habilitação. Para ter este documento é preciso apenas ter sua carteira de motorista em ordem. Ele é usado se você for dirigir em países de lingua distinta da sua, mas para viajar pela América do Sul, a proximidade do português com o espanhol não criam impecilhos para que os policiais dos outros países entendam o que está escrito em seu documento brasileiro.
Não é necessário ter a carteira internacional para viajar pelo Mercosul e Chile (tão pouco para outros países da América espanhola), pois a CNH brasileira é válida nestes países.Muita gente sem informação acaba viajando com os dois documentos sem necessidade e acaba tento um gasto inútil.


Câmbio

Faça sempre o câmbio nas casas de câmbio localizadas nas aduanas, é mais confiável e você já entra no país com a moeda local, pois a maioria dos postos de combustível não aceita cartão e moedas de outros países, e se você for fazer o cambio com os frentistas, será lesado com certeza, pois sempre pagam a metade do valor da moeda.

Precaução com combustível lá fora

Não custa nada dizer, mas fora do Brasil não existe Álcool. A gasolina lá fora é muito boa, e por que incrível que pareça isto pode ser um problema. Isto por que nossa gasolina é bastante diluída com álcool, o que a deixa um pouco mais fraca em relação com as gasolinas de outros países. Por isso não é bom abastecer com gasolina aditivada lá fora, pois os motores brasileiros foram feitos para uma gasolina mais fajuta. 
Na Argentina e Chile os combustíveis têm nomes diferentes, mas são a mesma coisa que os nossos. Observe a tabela abaixo e veja o que equivale cada combustível.

Brasil: Gasolina - Diesel
Argentina: Nafta - Gasoil - Prefira a Super XX e não a Fangio que é a nafta de alta octanagem lá, só coloque a Fangio em ultimo caso
Chile: Benzina - Diesel

Na Argentina dê preferência aos postos da rede YPF que segundo os argentinos é o mais confiável. Assim como aqui não confie em qualquer posto. Na Argentina há três tipos de gasolina: a Normal, Super e Fangio XXI. Nunca abasteça com a Fangio, pois esta gasolina é boa demais para nossos motores, prefira sempre a Super.
No Chile a gasolina é vendida pela octanagem: 93, 95 e 97 octanos, siga a mesma dica dada para a Argentina e abasteça com a do meio.
Pedágios

Em todos os países há pedágios. O Chile especialmente é o país dos pedágios, pois além de ter muitos, eles são caros, lá a moeda é bastante valorizada em relação ao dólar e isto pesa muito (no Chile se paga por tudo, até por informação!) e um detalhe,motos pagam pedágio em todas as rodovias que por sinal são ótimas.

Já na Argentina as motos não pagam pedágio à exceção dos pedágios da autopista próxima a Buenos Aires, mas são muito baratos em relação aos nossos.
Os argentinos ainda não  tem autopistas modernas como os chilenos, mas suas estradas de pista simples são também excelentes, com pavimentação de qualidade e sinalização padronizada em todas as quase todas as Províncias e estradas (há exceções em pouquíssimos lugares). A tempo, previna-se pois na Argentina todas as pistas estão em obras, com muitos desvios com pavimentação de terra ou pó de pedra.

Corrupção Policial

Corrupção Policial é uma realidade tanto no Brasil quanto em nossos países vizinhos, menos no Chile. Ao ser abordado neste país cometendo alguma infração, não tente subornar os Policiais. Os Carabineiros, como são chamados os policiais no Chile, são muito corretos e disciplinados, não aceitam propina e punem quem tenta corrompê-los.

Quando nos pararam na Argentina na altura do Km 55 da Ruta 14, cuja velocidade limite é de 110 km/s  e nós estávamos a 105 km/h,  os guardas camineiros de Entre Rios, inventaram um velocidade de 80 kms por hora, dizendo que no trecho havia um parador, ocultado pela camionete que tinha o  radar. Queriam receber o dinheiro da multa ($ 583,00)  na hora, o que não concordamos e ficamos de pagar o dobro na aduana. 
Na aduana o problema foi contornado, pois não tinham fotografia do excesso de velocidade e não pagamos nada. Não caia no truque que está se tornando comum na Ruta 14.
No restante do país não tivemos problemas algum com os policiais, sendo ainda muito auxiliados pelos integrantes da Gendarmeria próximo a Federation, na mesma Ruta, quando minha moto teve problemas mecânicos e tive que ser rebocado até Uruguaiana.

Problemas com bagagem na fronteira

Há coisas que não podem atravessar a fronteira, como alimentos perecíveis (Frutas, carnes, leite) e qualquer tipo de plantas e animais vivos..Se você tem equipamentos eletrônicos de valor, declare-os para não ter problemas na volta. Isso geralmente não tem muito problema na Argentina, mas no Paraguai é levado à sério, nem precisa falar porquê. Não seja louco de tentar passar a fronteira com armas de fogo ou drogas, você será indiciado por tráfico internacional e isso é gravíssimo.

Regras de trânsito

As regras de trânsito diferenciam de país em país, mas em geral no que tange os “"bons modos" é tudo igual. O que muda na realidade é a flexibilidade com que o motorista encara a lei e o rigor que o estado pune o infrator. Para o motorista brasileiro que já está acostumado com radares eletrônicos, fiscalização dura e punições, verá que nossos vizinhos, com exceção do Chile, têm o trânsito igual ao que tínhamos há 20 anos atrás, ou seja, com motociclistas sem capacete, motoristas sem cinto de segurança, carros velhos sem segurança circulando, gente dirigindo em alta velocidade, etc... Mas cuidado! Agindo como eles você descobrir se a fama da Polícia destes países é mesmo verdadeira. Eu não recomendo testar! No Chile onde diz pare, pare mesmo e coloque os pés no chão, pois eles são rígidos com as leis de trânsito.


Fonte: altamontanha.com - canaldamoto.com