ESTRATÉGIA E BOTE FINAL GARATEM QUARTA VITÓRIA DE COSTA NETO NA GP LIGHT

03/09/2011 21:17

 

Estratégia e ‘bote final’ garantem quarta vitória de Costa Neto na GP Light

Líder do Moto 1000 GP perde liderança na largada e só volta ao comando da corrida na antepenúltima volta em Interlagos


Uma atuação estratégica marcou a quarta vitória de Eduardo Costa Neto na categoria GP Light do Moto 1000 GP. O paulista da Mobil Rush Racing Team adotou a condição de coadjuvante durante maior parte da quinta etapa, disputada na tarde deste sábado (3) no Autódromo José Carlos Pace, em São Paulo, mas foi o vencedor da corrida graças à economia de equipamento que teve de buscar nas primeiras voltas da disputa em Interlagos.

Ainda na primeira volta, Costa Neto, que largou da pole-position, perdeu a liderança para João Vitor “Tripinha” Batista, da Fura 300 Racing. “Eu percebi que tinha dificuldades, a moto começou a patinar, e acabei perdendo a quarta marcha. Aí vi que deveria poupar equipamento para, quem sabe, tentar alguma coisa nas voltas finais, e foi o que fiz. Felizmente deu certo”, declarou o vencedor, que abriu 15 pontos de vantagem na liderança do campeonato.

Tripinha assumiu a liderança na primeira volta e passou a maior parte da corrida administrando a vantagem que tinha. Na segunda volta, Costa Neto perdeu o segundo lugar para Sérgio Laurentys, que chegou a liderar a prova por algumas curvas na quinta volta. Na sétima, Costa Neto retomou a vice-liderança, enquanto a disputa pelo terceiro lugar na prova confrontava Sérgio Laurentys, Nick Iatauro e Renato Andreghetto, que fazia sua estreia na categoria.

A quatro voltas da bandeirada final, Costa Neto havia sido ultrapassado por Iatauro e Andreghetto. Sua reação deu-se na antepenúltima volta, quando saiu da quarta para a primeira posição, que manteve até o fim. “Eu era mais rápido nas curvas de baixa, tive de mudar um pouco a pilotagem nas curvas de alta e isso até castigou um pouco o pneu. Mas o que economizei de equipamento foi suficiente”, aliviou-se o piloto, que venceu quatro corridas em 2011.

Tripinha, piloto de uma Honda CBR 1000, sabia que teria dificuldade para se manter na liderança até o final. “A moto de 1.000cc é mais rápida, mas é muito mais pesada, exige mais freio, o desgaste foi grande”, falou. Andreghetto mostrou-se surpreso com o pódio na estreia. “Eu tive uma queda nos treinos livres, quase não treinei. Terminar logo atrás dessas feras aqui é sensacional, para mim já está de ótimo tamanho”, exultou o piloto da Pitico Race.

Na categoria BMW S1000RR, Ricardo Kastropil ampliou sua vantagem na liderança do campeonato com a conquista da vitória. Largando em terceiro, ele foi o nono colocado na classificação geral da corrida. “Tive problemas na embreagem da moto, com isso ficou muito difícil ficar perto. Para a corrida de amanhã a equipe vai trabalhar para o equipamento não ter nenhum problema. Eu quero estar no primeiro pelotão”, avisou o piloto da JC Racing Team.

Os quatro primeiros colocados estabeleceram na última das 14 voltas da etapa seus melhores tempos na corrida. Eles destacaram o rendimento dos pneus Michelin. “O pneu da Michelin esteve impecável desde o início, deu confiança. Nas últimas voltas, a aderência era perfeita””, frisou Costa Neto. “Para mim, foi mais uma questão de ganhar confiança ao longo da corrida. Com o pneu novo que pus para a corrida, a tração ficou fantástica”, falou Andreghetto.

Depois de 14 voltas, o resultado final a quinta etapa das categorias GP Light e BMW S1000RR Cup em Interlagos foi o seguinte:

1º) Eduardo Costa Neto (SP/Mobil Rush Racing Team), Kawasaki ZX6-R, 25min24s844
2º) João Victor Batista (MS/Fura 300 Racing), Honda CBR 1000, a 2s331
3º) Renato Andreghetto (SP/Pitico Race), BMW S1000RR, a 4s245
4º) Nick Iatauro (SP/Pitico Race), Honda CBR 1000, a 4s462
5º) Sérgio Laurentys (SP/Mobil Rush Racing Team), Kawasaki ZX6, a 10s035
6º) Robson Pereira (SP/Sport Plus Racing), BMW S1000RR, a 25s772
7º) Edson Farias (SP/Top Bike), Honda CBR 1000, a 26s028
8º) Rodrigo Nini Pacheco (SP/Motonil Motors), Honda CBR 1000, a 39s939
9º) Ricardo Kastropil (SP/JC Racing Team), BMW S1000RR, a 59s667
10º) James Mike (SP/Sport Motor), Honda CBR 1000, a 1min07s801
11º) Rafael Zanuto (SP/Fenix Racing), BMW 1000RR, a 1min16s642
12º) Ricardo Pitty (SP/Mobil Rush Racing Team), Kawasaki ZX6-R, a 1min17s762
13º) Taciano da Silva Nunes (SP/Scigliano Racing), Kawasaki ZX10-R, a 1min35s881
14º) Sérgio Prates (SP/Scigliano Racing), Suzuki GSX 1000, a 1min50s988
15º) Beto Juliani (SP/Fenix Racing), BMW S1000RR, a 1 volta
16º) Vitor de Castro (RJ/Streetfighters), BMW S1000RR, a 1 volta
17º) Gustavo Levy (SP/São Paulo), Triumph Daytona 955i, a 1 volta
10º) Wesley da Costa Sanches (SP/Sport Plus Racing), Honda CBR 1000, a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
Bruno Benedetto (SP/Sport Plus Racing), Honda CBR 1000, a 6 voltas
Maurício Pirchio (SP/Sport Plus Racing), Suzuki GSXR1000, a 9 voltas
Melhor volta: Batista, na 14ª, 1min46s670, média de 145,424 km/h

Depois de cinco etapas, a classificação da GP Light no Moto 1000 GP é a seguinte: 1º) Neto, 120 pontos; 2º) Batista, 105; 3º) Iatauro, 66; 4º) Laurentys, 64; 5º) Fittipaldi, 29; 6º) Zanuto, 27; 7º) Sanches, 23; 8º) Mendes, 21; 9º) Mondragon e Nucci, 17; 11º) R. Andreghetto e Castro, 16; 13º) S. Andreghetto, 15; 14º) Teixeira Neto, 12; 15º) Pereira e Prates, 10; 17º) Farias e Toscano, 9; 19º) Pacheco, 8; 20º) Mike, 7; 21º) Pitty e Vinicius, 5; 23º) Silva Nunes, 4; 24º) Juliani, 2.

03/09/2011 Texto: Luciano Monteiro (45) 9912-7040 Fotos: Donini Produções
Legenda 1: Largada da GP Light em Interlagos, com Costa Neto (117) e Tripinha (73) à frente
Legenda 2: Da esquerda para a direita, Kastropil, Tripinha, Costa Neto e Andreghetto no pódio da GP Light