GP PETROBRÁS LEVA PILOTOS DO MOTO 1000 ÀS CONTAS

07/11/2011 20:46

Com a chegada da etapa final do Moto 1000 GP, a preparação das equipes e pilotos ganha um novo elemento: a matemática. Além dos condicionamentos físico e psicológico e da preparação das motos, a definição de estratégias depende de uma análise detalhada dos números do campeonato à luz do que diz o regulamento desportivo do evento. O GP Petrobras, que é a grande final do Moto 1000 GP, acontece dias 19 e 20 de novembro, no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. 

 


Uma das variantes a considerar são os resultados obtidos pelos pilotos convidados pela organização. Nesses casos, por exemplo, o regulamento prevê que esses pilotos não somam pontos no campeonato. E vários convidados tiveram resultados expressivos ao longo da competição, como a vitória de Maico Teixeira na 2ª etapa da BMW S1000RR Cup, em Brasília. Na GP 1000 também houve vitórias de pilotos convidados, como a de Pierre Chofard, na 3ª etapa, em São Paulo, e Marco Brunheroto, na 5ª, em Curitiba. Vale lembrar que, para efeito de classificação, conforme o regulamento, os pilotos que fazem a temporada regular herdam as posições obtidas pelos convidados. Outra alternativa ainda é criada pelo regulamento que prevê o descarte de uma corrida.


Considerado o regulamento desportivo e os resultados obtidos até agora, sem o descarte de resultados, a GP 1000 tem liderança de Alan Douglas, com 231 pontos, com Diego Faustino em 2º, com 196; Sarin Carlesso em 3º, com 102; Jaime Cristóbal em 4º, com 81 e Osmar Gonçalves, com 68. Douglas, para conquistar o título, precisa marcar dois pontos no Rio de Janeiro.

Na GP Light o líder é Eduardo Costa Neto, com 224 pontos, seguido de João Victor Batista em 2º, com 181; Nick Iatauro em 3º, com 123; Sérgio Laurentys, em 4º, com 103; e Joniran Saling, em 5º, com 61 pontos.

 


No GP Petrobras, o Moto 1000 GP vai alinhar no mesmo grid os pilotos que participam do Campeonato Estadual de Motovelocidade do Rio de Janeiro. Promovido por Cláudio Bicudo, o estadual carioca vive uma fase de ascensão no cenário nacional da motovelocidade. Ele tem cinco categorias e estará disputando sua terceira etapa.

O Moto 1000 GP tem patrocínio de Petrobras, Lubrax e BMW Motorrad, além do apoio de Michelin e Beta Ferramentas; parceria com a W2 Boots e Shoei e parceria técnica de Servitec Dinamômetros, Vaz, Akrapovic, K&N e MRA. As provas da categoria têm transmissão ao vivo pela Record News em canal aberto em VHF e UHF, além de transmissão pela internet, na integra, pelo próprio site oficial do campeonato e pelo portal R7. Também é possível acompanhar as movimentações do evento através das redes sociais como o Twitter (@moto1000gp) e Facebook (www.facebook.com/moto1000gp).