JUSTIÇA OBRIGA CONCESSIONÁRIA A RESSARCIR CLIENTE POR VENDER MOTO COM DEFEITO

24/08/2011 22:21

 

Justiça obriga concessionária a ressarcir cliente por vender moto com defeito
Cuiabá / Várzea Grande, 23/08/

A Sexta Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou acolhimento ao Agravo de Instrumento nº 47606/2011, interposto por uma fabricante de motos, e manteve decisão que determinou, em sede de antecipação de tutela, a restituição dos valores pagos pela motocicleta ao autor da ação, no prazo de cinco dias, sob pena de multa diária fixada em R$ 500. A moto apresentou problemas e o comprador não obteve solução para o caso dentro do prazo de um mês. 

Consta dos autos que o ora agravado ajuizou ação de rescisão contratual e restituição de quantia paga concomitante com indenização por dano moral contra as empresas J. Toledo da Amazônia Indústria e Comércio de Veículos Ltda. e Pinheiros Motos Ltda. – Goiânia (Pinauto Motos), por defeitos em uma motocicleta nova, marca Suzuki, GSX 650-F, 2009/2010, adquirida na Pinauto Motos por R$27 mil (R$25 mil em dinheiro e R$2 mil em cheque pré-datado). A motocicleta deu entrada em uma concessionária autorizada Suzuki em Barra do Garças (509km a leste de Cuiabá), por três vezes, no período de três meses, para reparos necessários, conforme ordens de serviços apresentadas. O agravante demonstrou que levou a motocicleta para a concessionária em Goiânia, para a realização de avaliação técnica, sendo que se passaram mais de 30 dias sem a resolução do problema.


SEGUNDO CONTATO DO RESPONSÁVEL PELA EMPRESA O  PROBLEMA FOI RESOLVIDO CONFORME SEGUE E-MAIL ABAIXO TRANSCRITO NA ÍNTEGRA

 

Em 19 de outubro de 2011 15:16, Leonardo Cesar <leonardocesar@pinauto.com.br> escreveu:
 

Venho através desta responder ao artigo publicado no seu site sobre as informações que a justiça mandou devolver o dinheiro ao cliente Junior, sendo que as mesmas não refletem a verdade.

Foi feito um acordo junto ao fabricante e não pode ser aplicado a concessionária de Cuiba uma multa, pois a mesma já não estava em funcionamento. Foi falha da loja de Cuiba, não resolver o problema da bomba de combustível, então devido a este fato, foi feito um acordo entre as partes, fazendo a devolução dos vinte cinco mil dado pelo cliente e devolvido o cheque sustado pelo mesmo no valor de dois mil reais. Este por sua vez teve que devolver a moto, a qual logo em seguida foi vendida e nunca mais apresentou o defeito alegado.

Conto com vocês para que a verdade seja dita.

Obrigado.