MOBIL RUSH RACING TEAM ABRIU A TEMPORADA EM GRANDE ESTILO

19/01/2012 22:35

 

A Mobil Rush Racing Team abriu a temporada em grande estilo

eric_500Milhas_2.jpg

A temporada de 2012 começou dramática e divertida para a equipe Mobil Rush Racing Team, que inscreu duas de suas motos na 500 Milhas de Interlagos.  Quase deu numa vitória que seria de David contra Golias, de uma Honda CBR 600 RR contra uma Kawasaki Ninja ZX-10R, a que venceu tocada pelos argentinos.

Domingo de muita chuva em Interlagos, casa cheia , muita gente na expectativa da tradicional prova de abertura do calendário da motovelocidade anual. Largando na quarta posição, a equipe Mobil Rush Racing Team era uma das poucas a bordo de uma moto de 600 cilindradas, enfrentou de começo  a BMW S1000RR da equipe JCCachorrão pilotada pelo proprio Cachorrao e o veterano Doca. E depois a Kawasaki ZX10R da equipe Extreme Sports composta por dois argentinos que correrm o mundial de Superbike ao lado do brasileiro Pablo Baratinha. De igual para igual, apesar dos 80 cavalos a menos e sem nenhum recurso eletrônico de controle de tração ou ABS.

A Mobil Rush já assumiu a ponta na primeira volta, trocando posições durante a prova toda, ate que na volta 152 de um total de 185 o piloto Nico Ferreira caiu na curva da junção, onde foram perdidos 10 minutos. 

 

Nico_Eric_Dudu_Sergio_500Milhas_2012.JPG

 

A equipe, com Nico, Dudu Costa Neto, Eric Granado e Sergio Laurentys (foto) caiu para quarta colocação. Retomou a terceira nos boxes  com um rápido reabastecimento e o piloto Eric Granado assumindo a pilotagem indo a caca da BMW que estava em segundo. Alcançou e tomou-lhe a posição a duas voltas dofinal, numa aplaudida ultrapassagem em frente ao público, na freada do S do Senna. Mas não deu tempo de alcanar os argentinos, o que ocorreria em mais algumas voltas.

 

Foi um bom começo de temporada para a equipe. Eric Granado mostrando ao público brasileiro a categoria que vai esbanjar na Europa, correndo o campenato Espanhol de 125 Especial e estreando na Moto2 – aliás, usando o mesmo número 57, que o acompanha desde criança, já confirmado pela organização do mundial.