MUNDIAL DE MOTOCROSS EM ÁGUEDA

19/06/2011 22:01

 

Mundial de Motocross em Águeda: Rui Gonçalves no pódio da segunda manga

 

Rui Gonçalves foi terceiro na segunda manga da categoria MX1, no GP de Portugal, prova do Mundial de Motocross, que se realizou este fim de semana em Águeda. Clement Desalle voltou a vencer.

A 'casa' quase veio abaixo no momento do arranque da segunda manga da classe maior do mundial de Motocross. Rui Gonçalves fez o mesmo que o seu colega de equipa tinha feito na manga anterior e garantiu o melhor arranque, com o público de imediato a entrar em estado de euforia devido à liderança do piloto luso. Rui Gonçalves sentia forte pressão por parte de Evgeny Bobryshev, o seu colega de equipa, mas manteve-se a salvo das tentativas do russo, que quase caia na ânsia de assumir o primeiro lugar até perder mesmo a segunda posição na oitava volta quando Clement Desalle assumiu a posição e começou ele a pressionar Rui Gonçalves.


O português resistiu mas duas voltas depois, na décima, era já o vencedor da primeira manga quem liderava, posição essa que não mais largou até ao final da corrida. 'Fiz uma boa corrida mas não estou plenamente satisfeito. Apesar de ter ganho cometi muitos erros e não o posso fazer.' Afirmou Desalle logo após o pódio onde pelo segundo ano consecutivo subiu ao degrau mais alto na ronda portuguesa no campeonato. Na discussão pelas primeiras posições alguns não aguentaram o ritmo. Primeiro foi Max Nagl a abandonar na sexta volta e depois David Phillipaerts na 12ª, ambos devido a queda, ficando o grupo da frente restringido a Desalle, Rui Gonçalves, Cairoli e Bobryshev, com Cairoli a perder novamente muito tempo nos primeiros dez minutos de corrida e para ultrapassar Bobryshev. Quando o fez o italiano rapidamente iniciou o ataque a Rui Gonçalves, que ultrapassou mais rapidamente mas à semelhança do que tinha acontecido na primeira manga era já demasiado tarde para conseguir lutar diretamente com Desalle pela vitória.
Aproximou-se do belga, mas não chegou para tentar a ultrapassagem.


Rui Gonçalves segurou Bobryshev e foi terceiro, o seu melhor resultado do ano, na frente do russo que regressou ao pódio de uma prova do campeonato - a estreia foi nos Estados Unidos - com a companhia de Cairoli e Desalle, que conseguiu aumentar em Águeda a sua vantagem no campeonato para o dobro dos pontos que tinha à chegada a Portugal...são agora 12 pontos sobre Cairoli.


Jeffrey Herlings vence na MX2


Ao contrário do arranque da primeira manga desta feita Ken Roczen partiu bem e de imediato assumiu a primeira posição. Parecia destinado a vencer tal como tinha feito na manga de abertura de hostilidades, mas o piloto alemão voltou a cometer um erro, tal como tinha feito na segunda manga do Brasil, desta feita com mais gravidade já que caiu na terceira volta com bastante aparato e foi mesmo forçado a abandonar e visitar mesmo o centro medico para uma observação mais cuidada do seu estado de saúde já que embateu com alguma violência com a cabeça na queda.


Quem ficou assim na primeira posição foi Jeffrey Herlings, mas o holandês voltou a não conseguir segurar a primeira posição, perdendo na 11ª volta a liderança para um endiabrado Tommy Searle que depois de abandonar na primeira manga recuperava do erro com uma clara vitória. Tommy Searle mostrou assim que poderia ter discutido a vitória
em Portugal, mas um erro na primeira manga colocou-o for a da luta mesmo pelos lugares de pódio. O esforço do britânico não evitou no entanto a vitória em termos globais de Herlings, a terceira do ano, com o piloto da KTM a assumir igualmente o comando do campeonato.


'Hoje não fui o piloto mais rápido em pista, mas nem sempre o mais veloz vence.' Comentava após o pódio final Herlings, que foi segundo tal como na primeira manga e desta forma assumiu igualmente o comando do campeonato. Zach Osborne ainda passou pelo terceiro posto entre a terceira e a quinta volta, mas Gautier Paulin subiu ao degrau mais baixo do pódio da manga na sexta passagem pela linha de meta e garantiu a segunda posição na classificação final, na frente de Osborne que foi quinto nesta segunda manga depois de ser igualmente ultrapassado pelo seu colega de equipa, Arnaud Tonus. O campeonato ganhou assim um novo líder, Jeffrey Herlings, que parte para a próxima jornada com magra vantagem sobre Ken Roczen, que perdeu na segunda manga muitos pontos para a concorrência, especialmente Herlings.