MV AGUSTA F3 675 - A NOVA SUPERMOTO ITALIANA

09/11/2011 16:38

 

    Uma das mais cobiçadas marcas de motocicletas italianas, a MV Agusta apresenta ao mercado sua mais nova representante: MV AGUSTA F3 675. Ela é o último projeto do recém falecido Claudio Castiglioni, a moto demonstra absoluto rigor em todos os mínimos detalhes do projeto. A começar pelo chassi super avançado e terminando no controle dinâmico do veículo que faz par com as super-esportivas mais avançadas do mundo. O nome desta tecnologia é MVICS (Sistema Integrado de Controle do Veículo & Motor – “Motor & Vehicle Integrated Control System”).
 
 
 
Ela se torna uma moto revolucionária com seus três cilindros que usam um virabrequim que vira no sentido contrário da maioria das motos, solução encontrada apenas nas MotoGP. Alia a isso uma construção leve e compacta e um motor construído com materiais ultra-avançados que aliam alta tecnologia em eletrônica com engenharia mecânica avançada. Graças ao sistema MVICS, essa é a primeira motocicleta com legítimo “Ride By Wire” nos controles do motor que inclui 4 mapas pré-determinados e mais um mapa que pode ser personalizado pelo piloto. O controle de tração tem 8 níveis diferentes.

O chassi foi estudado para a performance e possui rigidez para oferecer maior qualidade no rodar, com o máximo controle nas mais diversas condições de piso. O estilo da MV Agusta F3 675 foi baseado na filosofia central que sempre caracterizou a marca: a combinação da forma e funcionalidade que se aliam para criar um objeto único, não só pela sua beleza mas também pela sua efetividade.

A nova F3 675 estará disponível a partir de dezembro com a versão SERIE ORO e a partir de janeiro na versão standard com preço de 11.990 € (outros países terão preços equivalentes adicionados de taxas e fretes de importação). As cores serão em três combinações: vermelho/prata, branco/preto e pastel/preto antracite metálico.
 
 


MOTOR

É um tricilíndrico em linha com 675 cc. Com essa configuração a MV Agusta competiu e foi vitoriosa em váriaos eventos e campeonatos mundiais. Hoje essa configuração retorna na forma de uma super-esportiva com as mais avançadas soluções em tecnologia e eletrônica.

É um motor ultra-compacto, bastante curto e estreito, resultado da disposição de suas peças. Utiliza 79mm de diâmetro do cilindro e um curso de 45,9mm, Esse motor é um MV Agusta “Super Quadrado” de 3 cilindros que é capaz de superar as rotações mais altas já atingidas por outros motores da mesma categoria. Produz 128 cv em 14.500 rpm com 71Nm de torque a 10.600 rpm. Esse nível de performance foi obtido num motor que tem seu virabrequim virando no sentido contrário do usual e isso contribui para um balanceamento dinâmico melhor, juntamente com uma resposta rápida na dirigibillidade da motocicleta.

Dimensões ultra-compactas e máxima performance são as características que fazem do motor da nova MV Agusta F3 675 a nova referência na classe de motos Supersport. Isso se deve à fundição que integra os cilindros junto com a caixa superior do resto do motor-câmbio, válvulas de titânio e o sistema MVICS. As bombas de óleo e água estão localizadas internamente na carcaça do motor de forma que todas as passagens são contidas dentro das peças fundidas, o que resulta em vantagens em performance e estilo no desenho do motor de 3 cilindros italiano mais potente já produzido.
 
 


ELETRÔNICA

O sistema de injeção eletrônica usa dois bicos por cilindro em corpos borboleta de 50mm de diâmetro. O sistema MVICS permite ao motor desenvolver níveis recordes de potência e controle em qualquer situação. O piloto pode selecionar um dos 4 mapas disponíveis ou usar o quinto mapa disponível para ser alterado conforme sua vontade. O desenvolvimento do sistema MVICS tornou possível aumentar a harmonia entre a entrega de potência e o controle de tração que oferece 8 níveis de ajustes através do botão no punho esquerdo ou na interface do painel. Esse sistema ainda pode ser otimizado por uma série de peças opcionais:

Sensor de inclinação –  Integrado ao controle de tração, lê os dados de inclinação do veículo, integra com os algorítmos do controle do motor e determina efetivamente o nível de tração disponível em todos os ângulos de inclinação. Então, ele ajusta automaticamente a abertura das borboletas do sistema de injeção, avanço da faísca e entrega de combustível para assegurar maior segurança na aceleração plena e em todas as situações e condições dinâmicas.
Controle de largada – Permite ótima performance nas saídas, partindo da posição parada com a maior aceleração possível.
Sistema anti-empinadas – Permite otimização da aceleração sem perder o controle da direção.
Assistente eletrônico de mudança rápida de marchas - O EAS – Electronically Assisted Shift -, oferece mudanças rápidas de marchas sem ter que desacelerar ou utilizar a embreagem.

CHASSIS

A nova F3 675 segue a tradição italiana de qualidade na dirigibilidade de suas motocicletas que a MV Agusta também integra. Como todas as MV Agusta o desenho avançado do chassi incorpora uma mistura de tubos de aço e placas laterais de alumínio que abraçam o motor compactando o conjunto a um nível máximo para uma moto supersport.
Essas dimensões do motor permitiram aos engenheiros maior liberdade para projetar o chassi com uma balança mais longa para a suspensão traseira monobraço, que garante boa tração e sensibilidade ao piloto, sem penalizar a distância entre-eixos que conseguiram deixar em 1.380 mm. Um novo recorde para a categoria Supersport assim como o seu peso de 173 kg.

A suspensão dianteira Marzocchi de 43mm é completamente ajustável, assim como a traseira que conta com amortecedor com reservatório externo tipo “piggy-back” feito pela Sachs. O freio dianteiro consiste de bomba Nissin com pinças Brembo que mordem os discos duplos de 320mm acoplados à roda ultra-leve para contribuir à pouca massa não suspensa. A nova MV Agusta F3 675 foi feita para oferecer a dirigibilidade nunca experimentada em uma motocicleta Superbike. Talvez consiga!
 


Fonte: Motonline