NOVA TÉNÉRÉ XT 660Z CHEGA AO BRASIL

21/09/2011 16:56

Enfim, Yamaha XT 660Z Ténéré chega ao Brasil

A Yamaha Motors do Brasil reuniu a imprensa especializada nesta quarta-feira, no interior de São Paulo, para apresentar oficialmente a XT 660Z Ténéré, uma das atrações do estande da marca no Salão Duas Rodas. Infelizmente, algumas mentalidades retrógradas dentro da empresa ainda enxergam os sites especializados como a “segunda divisão” da imprensa e, assim, nós não fomos convidados. Mas não se preocupe, as informações chegam a você da mesma maneira.

Desde que a lendária Ténéré retornou ao mercado em 2008 ela é aguardada com ansiedade pelos fãs brasileiros — que não são poucos —, contudo, uma série de questões técnicas (a maioria relacionadas à adaptação de sua mecânica ao nosso combustível e normas de emissões) atrasou o lançamento. Você deve estar se perguntando: “Mas ela não utiliza o mesmo motor da XT 660R?” A resposta é sim, o motor é o mesmo, mas devido à proposta mais touring deste modelo, o escape, alguns ajustes eletrônicos e, consequentemente, as curvas de potência e torque são diferentes, o que acaba alterando sensivelmente ruído, desempenho e emissões.

Apesar dessas sutis diferenças no conhecido motor de 660 cm³, todas aquelas qualidades que nos acostumamos a encontrar na “R” estão mantidas, ou seja, trata-se de um monocilíndrico robusto, confiável e que oferece um excelente desempenho em qualquer terreno e faixa de utilização. A XT 660Z Ténéré é feita sob medida para quem sempre se identificou com a XT 660R, mas sempre lamentou a sua pouca aptidão para encarar longas viagens, especialmente no que se refere a conforto, equipamentos e comportamento em velocidades mais elevadas.

Neste modelo que chega, o tanque de combustível comporta 23 litros (são 15 l na “R”), o que garante uma autonomia bastante satisfatória. Como ele se estende por baixo do assento, além de ser pouco volumoso, ele também contribui para a centralização de massas. O pequeno para-brisa está longe de oferecer a proteção de uma legítima touring, mas é suficientemente eficiente para desviar o fluxo de ar do peito do piloto, proporcionando assim uma pilotagem menos cansativa. O assento mais ergonômico que o da veterana XT também proporciona um incremento importante em conforto (inclusive para o garupa). A posição de pilotagem continua excelente graças ao guidão largo e pedaleiras bem posicionadas.

A ciclística pouco muda, mas a adoção de uma para-lama dianteiro baixo e a suspensão com 15 mm menos de curso na dianteira traz uma estabilidade bastante superior na estrada com relação à 660 que já conhecemos. A Ténéré traz dois discos de freio na frente, contra um da irmã R.

Na Europa, a Ténéré 660 está disponíveis em versões com e sem ABS, e esperamos que ambas estejam disponíveis por aqui. Apesar de ser uma moto com aspirações off-road, o ABS não pode ser desligado.

A missão da XT 660Z Ténéré não vai ser fácil, principalmente depois da recente reformulação da BMW G 650 GS e do lançamento da nova líder da categoria, a Honda Transalp 700.
Ainda não temos uma confirmação oficial do preço, mas estimamos que deverá ficar ao redor de R$ 29 800 (sem ABS) e R$ 32 800 (com ABS). Será que a fama da XT e o peso do sobrenome Ténéré serão suficientes para justificar o atraso e recuperar o tempo perdido?