PILOTAGEM NA CHUVA

21/07/2011 23:52

 CHUVA

A TEMPORADA DE CHUVAS ESTÁ CHEGANDO E, COM ELA, OS PERIGOS DE RODAR COM O PISO MOLHADO. NESSAS CONDIÇÕES, TUDO É DIFERENTE, POIS A ADERÊNCIA DO PISO CAI DRASTICAMENTE, EXIGINDO CUIDADO E SUAVIDADE NAS ACELERAÇÕES E FRENAGENS PARA QUE A MOTO NÃO ESCORREGUE. ISSO SE APLICA SOBRETUDO NAS CURVAS E MUDANÇAS BRUSCAS DE TRAJETÓRIA.
A VISIBILIDADE TAMBÉM FICA SERIAMENTE COMPROMETIDA, POIS A ÁGUA “BORRIFADA” PELOS PNEUS DOS CAMINHÕES E CARROS REDUZ O CAMPO DE VISÃO — NÃO SÓ O TORNA MENOS VISÍVEL PARA OS VEÍCULOS À VOLTA, COMO DIMINUI O SEU CAMPO DE VISÃO, JÁ QUE A VISEIRA DO CAPACETE ACUMULA ÁGUA E SUJEIRA.
OS CUIDADOS, ENTÃO, DEVEM SER TOMADOS LOGO NOS PRIMEIROS PINGOS D’ÁGUA. ISSO PORQUE, QUANDO O ASFALTO COMEÇA DE FATO A FICAR MOLHADO, A SUJEIRA ACUMULADA – AREIA, POEIRA, RESÍDUO DE POLUIÇÃO, COMBUSTÍVEIS E OUTROS – SE MISTURA À ÁGUA, FORMANDO ASSIM UMA “PASTA” ESCORREGADIA. NESSA SITUAÇÃO, PARA SUA SEGURANÇA, A MELHOR COISA A FAZER É ESPERAR ALGUNS MINUTOS ATÉ QUE A CHUVA “LAVE” O ASFALTO E A ADERÊNCIA MELHORE.
MAS, INFELIZMENTE, OS PERIGOS SÃO MUITOS E NÃO PARAM POR AÍ. PODEM ESTAR ONDE VOCÊ JAMAIS IMAGINARIA ENCONTRÁ-LOS, COMO NAS FAIXAS DE SINALIZAÇÕES PINTADAS NO ASFALTO. CRIADAS PARA ORGANIZAR E ORIENTAR O TRÂNSITO, ELAS – ABSURDAMENTE! – TAMBÉM PODEM SER UM RISCO AO MOTOCICLISTA, JÁ QUE A TINTA UTILIZADA OFERECE UM ACABAMENTO EXTREMAMENTE LISO, SE TORNANDO UM VERDADEIRO “SABÃO” QUANDO MOLHADA. MAIS GRAVE QUE ISSO É QUANDO TAIS FAIXAS PERDEM SUA FUNÇÃO, POIS ALGUMAS DAS EMPRESAS RESPONSÁVEIS PELA MANUTENÇÃO DE VIAS PÚBLICAS OPTAM PELA SOLUÇÃO MAIS FÁCIL, QUE É SIMPLESMENTE COBRI-LAS COM UMA TINTA PRETA (IGUALMENTE ESCORREGADIA), “CAMUFLANDO” O PERIGO DE TAL FORMA, QUE OS MOTOCICLISTAS NÃO CONSEGUEM IDENTIFICÁ-LAS EM DIA DE CHUVA. POR ISSO, REDOBRE A ATENÇÃO AO FAZER CURVAS OU REALIZAR FRENAGENS MAIS FORTES.
MAS, SE VOCÊ RODA O DIA INTEIRO COM A MOTO, HÁ MUITO MAIS COM O QUE SE PREOCUPAR. ATRAVESSAR RUAS, AVENIDAS OU ESTRADAS ALAGADAS PODE SER MAIS PERIGOSO DO QUE PENSA, JÁ QUE A ÁGUA TORNA IMPOSSÍVEL ENXERGAR SE À FRENTE EXISTEM BURACOS OU ATÉ MESMO BOCAS-DE-LOBO (AQUELAS ESCORREGADIAS TAMPAS METÁLICAS NO MEIO DA RUA) ABERTAS. A CORRENTEZA DA ÁGUA É OUTRO FATOR QUE JAMAIS PODE SER IGNORADO. APARENTEMENTE AS ENXURRADAS RENTES ÀS CALÇADAS PARECEM SER FRACAS, MAS PODEM LEVÁ-LO AO CHÃO. NAS CORRENTEZAS EM AVENIDAS LARGAS, A SITUAÇÃO É MUITO PIOR, E O PREJUÍZO CAUSADO PELA INSISTÊNCIA EM CASOS COMO ESSES PODE SER BEM MAIOR DO QUE UMA SIMPLES PERDA MATERIAL.

BONS HÁBITOS PODERÃO AJUDÁ-LO
CONVENHAMOS QUE OS PERIGOS DE PILOTAR NA CHUVA SEMPRE EXISTIRAM E NÃO VÃO SUMIR. O QUE RESTA FAZER, ALÉM DE RECLAMAR DAS ROUPAS MOLHADAS E DA MOTO SUJA, É SE PREPARAR PARA OS DIAS CHUVOSOS E MUDAR OS HÁBITOS DE PILOTAGEM.
PARA EVITAR ACIDENTES, UM BOM COMEÇO É SER PRUDENTE E PILOTAR COM 100% DE ATENÇÃO O TEMPO TODO. DESSA MANEIRA VOCÊ CONSEGUE NÃO SÓ IDENTIFICAR SITUAÇÕES DE PERIGO IMINENTE, COMO TEM MAIS TEMPO PARA REAGIR A ELAS.
OUTRA ATITUDE É REDUZIR A VELOCIDADE E AUMENTAR A DISTÂNCIA EM RELAÇÃO AOS VEÍCULOS À SUA VOLTA. AFINAL, COM O PISO MAIS ESCORREGADIO, A DISTÂNCIA NECESSÁRIA PARA FREAR E PARAR UMA MOTOCICLETA É BEM MAIOR DO QUE NAS CONDIÇÕES DE PISO SECO.
A ÁGUA NO ASFALTO É RESPONSÁVEL POR QUASE 50% DA PERDA DE ADERÊNCIA DO PNEU. PROCURE, ENTÃO, RODAR EM CIMA DAS FAIXAS MAIS SECAS DEIXADAS PELOS PNEUS DOS VEÍCULOS À SUA FRENTE. COM ISSO, O PNEU DE SUA MOTO PODERÁ ESCOAR A ÁGUA QUE RESTOU COM MAIOR EFICIÊNCIA, AUMENTANDO A ADERÊNCIA.
SE PASSAR POR UMA ÁREA ALAGADA FOR INEVITÁVEL, ANTES DE TUDO SE CERTIFIQUE QUE A MOTO ESTÁ EM CONDIÇÃO DE FAZÊ-LO. O CACHIMBO DA VELA DE IGNIÇÃO DEVE ESTAR FIRME E ENCAIXADO CORRETAMENTE. JÁ A ALTURA DA ÁGUA NÃO PODE SER SUPERIOR À ALTURA DAS ENTRADAS DE AR DA CAIXA DE FILTRO, POIS, SE A ÁGUA ENTRAR POR ELAS, SEU MOTOR IRÁ LITERALMENTE “MORRER AFOGADO”.
QUANDO ESTIVER NA ÁGUA, USE A PRIMEIRA MARCHA E MANTENHA A ACELERAÇÃO CONSTANTE NUMA ROTAÇÃO ELEVADA, MAS EM BAIXA VELOCIDADE. SE O ESCAPAMENTO DE SUA MOTO ESTIVER SUBMERSO, EM HIPÓTESE ALGUMA DESACELERE A MOTOCICLETA; CASO CONTRÁRIO, A ÁGUA PODE ENTRAR NO MOTOR POR MEIO DO PRÓPRIO ESCAPAMENTO.
APÓS SITUAÇÕES EXTREMAS COMO ESSA, O IDEAL PARA MANTER A MOTO EM ORDEM É TROCAR TANTO O ÓLEO QUANTO O FILTRO DO MOTOR.
 VESTIDO PARA O COMBATE
EM UMA CONDIÇÃO NATURALMENTE MAIS ARRISCADA, COMO A PILOTAGEM NA CHUVA, ESTAR BEM EQUIPADO É MUITO IMPORTANTE. POR ISSO, DÊ PREFERÊNCIA POR ABRIGOS DE CHUVA COM CORES CHAMATIVAS E FAIXAS REFLEXIVAS QUE AJUDEM VOCÊ A SE DESTACAR E SER VISTO POR OUTROS VEÍCULOS. UTILIZAR UMA CAPA DE CHUVA EM BOM ESTADO EVITA QUE FIQUE MOLHADO E DESCONFORTÁVEL, O QUE PODE REDUZIR SUA CONCENTRAÇÃO. NA HORA DE VESTI-LA, JAMAIS SE ESQUEÇA DE PROCURAR UM LUGAR SEGURO. PARANDO A MOTO EM QUALQUER LUGAR, VOCÊ CORRE RISCO DE SER ATROPELADO.
A ESCOLHA DE UM CAPACETE ADEQUADO TAMBÉM É MUITO ESSENCIAL, POIS ELE PODE FAZER UMA ENORME DIFERENÇA, TANTO NO QUE SE REFERE AO CONFORTO QUANTO À SEGURANÇA. ISSO PORQUE OS MODELOS ABERTO E DE CROSS PERMITEM QUE OS PINGOS DE CHUVA ATINJAM SEU ROSTO, QUE, NA MELHOR DAS HIPÓTESES, SENTIRÁ UMA INCÔMODA DOR, FAZENDO COM QUE PERCA A ATENÇÃO.
CAPACETES FECHADOS, MAS COM VISEIRA ESCURA, PODEM SE TORNAR UM GRANDE PROBLEMA (INCLUSIVE COM A LEI), PRINCIPALMENTE SE O MOTOCICLISTA ESTIVER PILOTANDO À NOITE OU EM VIAS POUCO ILUMINADAS. ATÉ MESMO A MANEIRA COM QUE VOCÊ LIMPA A VISEIRA DO SEU CAPACETE PODERÁ INFLUENCIAR NUMA PILOTAGEM NA CHUVA, JÁ QUE PRODUTOS DE LIMPEZA E CERAS AUTOMOTIVAS, QUANDO APLICADAS DO LADO EXTERNO DA VISEIRA, PODEM FAZER COM QUE ELA EMBACE COM MAIS FACILIDADE.
 CUIDADOS QUE O TEMPO DE CHUVA EXIGEM
SE SUA MOTOCICLETA NÃO ESTIVER EM CONDIÇÕES MÍNIMAS DE UTILIZAÇÃO NOS MESES DE CHUVA, AS CHANCES DELA DEIXÁ-LO NA MÃO OU AINDA CAUSAR UM ACIDENTE SÃO ENORMES.
COMPONENTES FUNDAMENTAIS COMO OS PNEUS, ALÉM DE CORRETAMENTE CALIBRADOS, DEVEM TER SULCOS OU RANHURAS COM PROFUNDIDADE SUFICIENTE PARA ESCOAREM A ÁGUA DO ASFALTO. QUANTO MAIS SULCOS PROFUNDOS O PNEU TIVER, MAIS ÁGUA ELE É CAPAZ DE ESCOAR E CONSEQUENTEMENTE MAIS ADERÊNCIA ELE PROMOVE.
O FAROL, AS LANTERNAS E OS PISCAS DEVEM ESTAR FUNCIONANDO PERFEITAMENTE, POIS, COM O FAROL ACESO, O MOTOCICLISTA FICA MAIS VISÍVEL. OS PISCAS TORNAM-SE FUNDAMENTAIS PARA INDICAR, AOS VEÍCULOS À VOLTA, A DIREÇÃO QUE SERÁ TOMADA.
NÃO SE ESQUEÇA QUE A PILOTAGEM NA CHUVA POR PERÍODOS PROLONGADOS COMPROMETE SERIAMENTE A LUBRIFICAÇÃO DE ALGUNS COMPONENTES EM VIRTUDE DA ÁGUA E SUJEIRA (AREIA E TERRA), DIMINUINDO O INTERVALO DE LUBRIFICAÇÃO E AJUSTE DE COMPONENTES COMO RELAÇÃO SECUNDÁRIA (CORRENTE, COROA E PINHÃO), CABOS DE EMBREAGEM E ACELERADOR.

 

PNEU CARECA E PISO MOLHADO: PERIGO EM DOBRO!