Vitória de Lussiana no GP Petrobras, abertura da temporada 2014 do Moto 1000 GP

06/05/2014 10:41

O francês Matthieu Lussiana chegou como um dos favoritos em Santa Cruz do Sul (RS) e não decepcionou. O piloto da equipe Petronas Alex Barros Racing venceu de ponta a ponta o GP Petrobrás, primeira etapa do Moto 1000 GP, disputado neste domingo (4). A vantagem para o segundo colocado, o paranaense Wesley Gutierrez, da Motonil Motors PDV/Brasil, foi de 27 segundos. O portugês Miguel Praia, defendendo a Center Moto Racing Team; Danilo Lewis, da Motonil Motors/PDV Brasil/RC3 Brasil; e o argentino Luciano Ribodino, pela BMW Motorrad Alex Barros Racing, completaram o pódio no autódromo gaúcho do terceiro ao quinto lugar, respectivamente.


Lussiana largou forte e manteve a primeira colocação ao passar pela curva do fim da reta dos boxes. Em duas voltas, a diferença para Ribodino já era de quase 5 segundos. Wesley Gutierrez, que largou na sexta posição do grid, pressionou os adversários e conseguiu terminar em segundo lugar. A ultrapassagem que garantiu o posto ao lado do vencedor no pódio aconteceu faltando duas voltas para o final da corrida, sobre Ribodino.



O argentino da moto número 1 enfrentou dificuldades no final da prova e foi ultrapassado também por Praia e Lewis na última volta. Lussiana, por sua vez, não baixou o ritmo e não adotou uma postura cautelosa, mesmo com a pista molhada. Na 11ª volta, o francês cravou o melhor tempo da prova: 1min36s066. Philippe Thiriet, correndo pela Scuderia SBK Ducati Cidade Jardim, largou em terceiro no grid, mas um tombo tirou o piloto da corrida logo no início.

Nico Ferreira – HPN Racing Team – era o 11º no grid e fez uma boa corrida, chegando a estar na quarta colocação, mas não manteve o ritmo e terminou em sétimo. O sexto colocado também fez uma corrida com muitas posições ganhas: Sergio Fasci, da MGBikes Yamaha Racing, largou na 14ª colocação.

“No seco, eu consegui acertar a moto, que é muito diferente do que estou acostumado. Sei que fiz uma boa largada e consegui imprimir um bom ritmo. Esse circuito é bem diferente do que eu estou acostumado na Europa. Foi difícil encontrar a linha correta quando a chuva vem de frente. Trabalho muito com o Alex (Barros) e a equipe para aprender da melhor forma como trabalhar com cada circuito".
Matthieu Lussiana