YAMAHA YBR 125 Fator

12/04/2011 00:46

 YAMAHA YBR 125 Fator: Mais que uma simples moto utilitária

 

A Yamaha YBR 125 Factor é uma moto conhecida por ser capaz de atender a um público que, em sua maioria, utiliza o modelo de forma profissional ou mesmo como meio de transporte, onde o requisito principal é a resistência. Mas durante os dias que nós da Mundo Moto a avaliamos, descubrimos que ela é capaz de oferecer muito mais.
O conforto na pilotagem surpreende,  um dos destaques da Factor. Nela, suportar longas horas de pilotagem é mais fácil do que parece. Graças ao posicionamento adequado do guidão, a boa ergonomia do banco juntamente com o tanque (encaixando perfeitamente as pernas) e das pedaleiras que oferecem apoio aos pés numa boa altura — possibilitando que as pernas não fiquem demasiadamente encolhidas.
As suspensões de funcionamento suave e macio também colaboram para o conforto, afinal, filtram boa parte das irregularidades do asfalto, algo que faz imensa diferença para quem roda muito e percorre longas distâncias.


Esta pequena Yamaha  é também robusta, de boa qualidade e dona de um bom projeto, características que deram a fama de “pau para toda obra” ao modelo.
Sua concepção é simples sem grandes avanços tecnológicos, já que seu motor é um monocilíndrico com capacidade de 124 cm³, com apenas um comando no cabeçote — do tipo OHC - Over Head Camshaft— e com duas válvulas. Seu arrefecimento é ar e sua alimentação ainda é feita por carburador.
Essa tecnologia conservadora é considerada por muitos consumidores, ruim por um lado, mas boa para o outro. Isso porque, uma parte acredita que a perda sofrida em virtude do modelo não ser equipada com sistema de injeção eletrônica de combustível — inegavelmente superior ao carburador,  garantindo mais economia de combustível e melhores respostas do motor —, é, ao menos em parte, compensada pelo baixíssimo custo de manutenção, que por sua simplicidade,  consequentemente acaba tendo um baixo custo.
No que diz respeito à segurança, a versão ED — testada por nós — não decepcionou. O fato de ser equipada com sistema de freio dianteiro a disco garantiu ao modelo um bom desempenho em frenagens, não só garantindo paradas em espaços curtos, como oferecendo maior controle durante a frenagem.
Quando o assunto é estética, a Yamaha Factor ED também chamou nossa atenção. Apesar de ser uma moto de apenas 125 cm³, ela parece ser ligeiramente maior. Suas formas harmônicas e levemente esportivas, parecem ter caído no gosto do brasileiro. Uma prova disso, é que mais de uma vez fomos abordados por pessoas curiosas em observar e fazer perguntas sobre o modelo. Um dos pontos mais elogiados, foi o conjunto formado pelo tanque e suas abas, e também pelas belas rodas de liga-leve de cinco raios. Os instrumentos do painel também agradaram quanto ao visual, mas por outro lado, decepcionam pela falta de um conta-giros.
Mas o que de fato impressionou, foi o comportamento dinâmico da Yamaha Factor. Ela é extremante fácil de ser conduzida, ágil em todas as condições, tanto nas mudanças rápidas de direção, quanto em simples manobras em baixa velocidade. Nas acelerações, mais surpresas. A Factor se mostrou rápida, alcançando boas velocidades, claro para os padrões de uma motocicleta de sua cilindrade e categoria.

Fonte: Revista Mundo Moto