AVALIAÇÃO KTM 200 DUKE ABS

28/07/2019 19:32

Avaliação – KTM 200 Duke ABS

Fotos: Eduardo Motoca (https://vivocommoto.com.br/) – especial para o CarPoint News

Testamos a “pimentinha” da KTM em parceria com o site CarPoint News, a KTM 200 Duke ABS é uma moto muito divertida, um prazer pilotá-la, ela é a porta de entrada ao mundo KTM no Brasil, já que não temos por enquanto a 125 disponível no pais, ela segue o design e DNA da família Duke, a moto é cheia de estilo, muito bonita e com vários itens que só encontramos em motos maiores.

Suas linhas são agressivas e muito harmônicas, ela é pequena, curta e “parruda”. As abas do tanque auxiliam nessa sensação de maior porte, o bonito desenho da balança traseira de alumínio, as rodas laranja com um pneuzão na traseira e o sistema de freios com aeroquip são destaque.

Diferente da versão anterior a Duke 200 2019 vem com freio ABS (dianteiro) atendendo a resolução 509 do CONTRAN em que todas as motocicletas de até 300 cm³ deverão trazer sistema de freios auxiliares, ABS ou CBS (Combinados). O quadro é de treliça tubular em aço.

A posição de pilotagem é muito boa, você fica sentado a 800mm do solo muito bem encaixado no tanque, numa posição mais racing, as laterais do tanque ajudam a “vestir” a moto, fica uma ressalva para o banco que é de espuma dura, o desenho é muito bonito, mas após muitos Km acaba cansando um pouco, existe um outro assento opcional vendido pela KTM PowerParts que é mais macio, de gel e resolve o problema. O guidão é mais alto, reto e conta com bom acabamento, a borracha da manopla é diferente (mais simples) em comparação com a DUKE 390 e não estão presentes os pesos nas pontas. Os comandos nos punhos são bem posicionados e iluminados, uma coisa que não se encontra em outras motos desse porte.

Girando a chave, o painel digital acende todas as suas luzes o hodômetro vai de 0 a 199, neste momento é feito o check do sistema, então aparece no display o slogan “Ready to Race”, aí é só acionar o botão de start e ouvir o motor acordando, num ronco gostoso, praticamente um “ronronar” que fica nervoso ao torcer o cabo do acelerador, eu gostei muito.

O motor de 1 cilindro de exatas 199,4 cilindradas refrigerado a água é muito elástico e progressivo, são 26cv a 10.000 rpm e torque máximo 1.9 kgf.m a 8.000 rpm, responde rápido ao giro do punho, fica sempre esperta a partir dos 4000 giros, o câmbio de 6 velocidades é suave e bem preciso, encontra-se o neutro sem dificuldades. Comparando com fazer (21,5cv) e CB Twister (22,6cv), tem uma ótima performance para uma 200, claro, cada uma na sua “pegada”.

NA CIDADE…

 Ela arranca muito bem na frente das outras motos, a 1ª, 2ª e 3ª marchas são bem curtas, com seu peso de 130Kg é muito ágil no trânsito, a altura dos retrovisores em relação ao guidão em alguns momentos ajuda a passar no meio dos carros, muito segura a moto está sempre na mão, no corredor vai muito bem, os excelentes freios trabalham de forma progressiva.

E por falar em freios, ela conta com sistema ABS somente na dianteira que tem disco de 300 mm com pinça radial de 4 pistões e na traseira disco de 230 mm com pinça flutuante de um pistão, ambos com aeroquip (cabo com malha de aço) que impede a perda de eficiência por conta da dilatação dos cabos comuns de borracha.

Quanto a suspensão, ambas são da grife WP, na dianteira invertida de 43mm com curso de 150mm e na traseira balança monoamortecida também com 150mm de curso e ajuste na pré carga da mola, vem ajustada com 3 cliques por padrão mas pode ser ajustada em 6 cliques para carga completa, segundo manual.  Essa mola na cor branca reforça o ar de moto pronto para pista.

Para uso diário seu corpo vai reclamar um pouco, por ter essa “pegada” de pista, as suspensões acabam sendo duras, você sente as pancadas dos buracos e irregularidades.

NA ESTRADA…

 Peguei estrada e ela logo se solta e se sente em casa, aqui sim as suspensões são excelentes, copiam bem a pista e deixam ela colada no chão e dependendo de sua habilidade pode deitar nas curvas porque ela inclina muito. Rodamos 460km ao todo durante a avaliação, o consumo foi absurdo de bom, chegamos a 42km/l em média, o que é fantástico pelo prazer que ela oferece, na cidade fica em torno de 35km/l o que também é uma ótima marca. O tanque tem cerca de 11 litros de capacidade.

Bem calçada com os já consagrados Pirelli Diablo Rosso II, medida 110/70 na dianteira e 150/60 na traseira são perfeitos para pilotagem em qualquer situação, inclusive andei na pista molhada e não me passei nenhum apuro, ainda bem!

Os ótimos freios da Brybe passam muita segurança e são muito eficientes, rodei por cerca de 300km e rodovias e ela se manteve estável, uma delícia baixar uma e “dar mão” no acelerador para fazer ultrapassagem. Além de ir para o interior de São Paulo, fui até Santos pela Imigrantes, mas na volta subi pela Anchieta e aí a diversão foi garantida, motor cheio o tempo todo, curvas um barato, realmente muito divertida!

A velocidade de cruzeiro confortável para moto ficou entre 95, 100km/h acima disso começa a vibrar um pouco, mas pode “apertar” que ela vai mais, não forcei muito pois ainda marcava no hodômetro 800km.

DETALHES…

Alguns itens merecem ser detalhados, as ótimas alças para a garupa que na verdade (conforme manual do proprietário) são para auxiliar nas manobras. Os Faróis são bons, mas poderiam ser de LED, o escapamento é muito bem desenhado até chegar a saída da “marmita” onde há uma ponteira digamos “estranha”, mas enfim…… o som é gostoso de ouvir.

O painel é um verdadeiro computador de bordo, caraca! Mais completo que em muitos carros tem muitas informações, é de fácil leitura com fundo “alaranjado” além da velocidade em Km/h ou Mp/h, contém contagiros, shift light, marcador de marchas, temperatura do fluido refrigerante, nível de combustível, relógio, dois hodômetros parciais e várias mensagens como por exemplo uma que gostei muito é o tempo de funcionamento, consumo de combustível, autonomia em km, e quanto falta para próxima manutenção, muito útil aos distraídos.

 EM RESUMO…

É uma street de 200 com 26cv, bem apimentada, merece respeito, divertida com excelente autonomia, ótimos freios, motor que responde muito bem a tocada esportiva, muitos itens diferenciados pela qualidade e que só verificamos em motos maiores.

Se deseja uma moto diferente com uma proposta mais racing, se quer se divertir seja indo ao trabalho, em pequenas viagens (pois o assento judia um pouco) ou até em um trackday, é uma moto excelente.

O modelo está à venda nas concessionárias com preço público sugerido de R$ 17.900,00 nas cores Laranja com rodas laranja e preta com as rodas laranja.

*FICHA TÉCNICA:

MOTOR   

Tipo    1 cilindro, motor 4 tempos

Cilindrada     199.5 cm³

Orifício           72 mm

Elevação       49 mm

Potência        19 kW (26 cv) @ 10.000 rpm

Transmissão 6 velocidades

Arrefecimento          Sistema de resfriamento por líquido

Embreagem  Embreagem com vários discos em banho de óleo, com acionamento mecânico

CHASSIS     

Tipo de estrutura     Quadro em treliça de aço, com pintura a pó

Suspensão dianteira          WP invertida Ø 43 mm, curso de 150 mm

Suspensão traseira Monoshock WP, curso de 150 mm

Freio dianteiro         Pinça radialmente parafusada de dois pistões, disco de freio de 300 mm

Freio traseiro            Pinça flutuante de um pistão, disco de freio de 230 mm

ABS    ABS de dois canais Bosch 9MB

Distância do solo    170 mm

Altura do acento      800 mm

Capacidade do tanque (aprox.)   11L

Peso a seco  129.5 kg

*Dados do fabricante